Masterchef: jabá, bonés e surpresas

O tradicional bairro do Bixiga, em São Paulo, foi o palco para a prova em grupo desta terça-feira, dia 7 de novembro, do nosso reality show de culinária, o Masterchef. O desafio dos concorrentes era cozinhar para 50 convidados do Chef e jurado, Henrique Fogaça. Pablo, que venceu a prova passada, pôde escolher com quem e em que praça gostaria de trabalhar. Ele optou pela principal, com Francisco. E Lubyanka, que também venceu, escolheu a entrada, na companhia de Irina. Monique e Raíssa ficaram com as sobremesas.

Como não poderia ser diferente, Fogaça era o responsável pela equipe e nada foi tranquilo nessa prova. Vimos uma praça principal que manteve quase tudo sobre controle, mas que precisou de uma ajudinha para finalizar. Mas a experiência de Pablo e de Francisco foram determinantes. Lubyanka e Irina quase entraram em atrito, mas desenvolveram bem suas tarefas. Já a praça dos extremos, como sempre, foi a de sobremesas. O sorvete, proposto por Fogaça, não chegou no ponto correto e decepcionou os convidados. Durante a prova, Monique queimou feio o braço, tendo que fazer uma grande bandagem em volta.

No final das contas, a comida foi muito elogiada, e quase tudo agradou. Pablo foi um dos melhores da prova, e Francisco o acompanhou para o mezanino. Na hora de falar sobre o desafio, quase todos apareceram de boné, para homenagear Raví, o eliminado do último programa. Foi um momento bonito. A única que não lembrou de usar foi Lubyanka. Ou seja, nada de novo sob o sol.

Eliminação Jabá

A prova de eliminação foi aquele jabá básico e desinteressante. As quatro participantes que foram para a berlinda precisaram fazer comidas da culinária típica de Abu Dhabi. Ok, faz pouquinho tempo que tivemos uma prova bem parecida, mas o pessoal das passagens aéreas estava pagando.

Nenhuma delas parecia exatamente tranquila, mas Raíssa era a mais perdida. Ela passou mais da metade da prova tentando fazer um cone de cabelinho de anjo frito que não deu certo. Raíssa insistiu tanto nisso que quase abandonou as outras coisas. No finalzinho da prova, ela ainda conseguiu colocar fogo na bancada e quase em toda a cozinha. Paola se desesperou, mas nada ajudou a participante.

Luby começou apresentando o prato. Fez um lombo de cordeiro, usou tâmaras, castanha e misturou o Brasil com o Egito (lembrou da música do É o Tchan né? Pode admitir). Ou quase isso. Ela fez um prato que coordenou a culinária brasileira com a típica de Abu Dhabi. Monique parecia meio perdida, como o próprio Fogaça percebeu. Inclusive, o chef precisou ajudar a concorrente a abrir a panela. A segura Irina realmente foi surpreendente. Fogaça disse que o prato remeteu para a sua última viagem ao local e Paola fez referência à genialidade da chef. Raíssa, mais uma vez, apostou na sobremesa. Apesar de TODOS os pesares, Paola sentenciou um “digno de um restaurante cinco estrelas de Dubai” e finalizou “te faz desejar mais uma colherada”.

Contrariando TODAS as nossas expectativas, Raíssa venceu a prova. Irina a acompanhou para o mezanino. Seria a caçula a grande favorita?

Contudo, a eliminação começou com Fogaça falando que “As duas são cozinheiras de mão cheia. Mão cheia de sal”. O critério foi, basicamente, o prato que eles conseguiriam comer até o final. E a menos pior foi Lubyanka. Quem se despediu do programa foi Monique, deixando o mezanino arrasado. Agora, restam apenas cinco na competição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *