A Mãe vence Festival de Vitória

‘A Mãe’, de Cristiano Burlan, é o grande vencedor do 29º Festival de Cinema de Vitória

Premiada com o Troféu Vitória de Melhor Interpretação, Marcélia Cartaxo é a protagonista do drama  ‘A Mãe’.

O Festival de Cinema de Vitória anunciou no sábado, 24 de setembro, em cerimônia no Teatro Glória (Centro Cultural Sesc Glória), os filmes vencedores de sua 29ª edição. Na competição nacional de longas, o drama ‘A Mãe’, de Cristiano Burlan, ganhou cinco troféus, além do prêmio de Melhor Filme da Crítica. Com lançamento nos cinemas brasileiros marcado para o dia 10 de novembro, a produção foi premiada com o Troféu Vitória nas categorias Melhor Filme (júri oficial, júri popular), Melhor Direção para Cristiano Burlan, Melhor Interpretação para Marcélia Cartaxo e Melhor Fotografia para André S. Brandão. 

Roteirizado por Burlan e Ana Carolina Marino, ‘A Mãe’ conta a história de Maria (Marcélia Cartaxo), uma mulher que procura seu filho adolescente, que pode ter sido assassinado por policiais militares durante uma ação na vila onde moram, na periferia. Maria embarca, então, numa jornada em busca desse filho, e precisa enfrentar a burocracia opressora das grandes metrópoles para poder vê-lo uma última vez. O longa foi rodado em São Paulo, no começo de 2020,  com locações no centro da capital e no Jardim Romano. 

Relembre nossa crítica do filme aqui!

Competição de curtas

Na competição nacional de curtas-metragens, ‘Sideral’, de Carlos Segundo, premiado como Melhor Filme pelo júri oficial; ‘Fantasma Neon’, de Leonardo Martinelli, levou o troféu de Melhor Filme do júri popular, e ‘Madrugada’, de Leonardo da Rosa e Gianluca Cozza, ganhou o Prêmio da Crítica.  Maior evento de cinema e audiovisual do Espírito Santo e um dos principais do Brasil, o 29º Festival de Cinema de Vitória foi realizado entre os dias 19 e 24 de setembro de 2022, no Centro Cultural Sesc Glória, e exibiu 83 filmes. A escolha dos vencedores foi feita pelas comissões de júri do Festival, compostas por especialistas e profissionais do cinema.

O júri oficial do 29º Festival de Cinema de Vitória foi composto por Alexandre Soares Taquary, Viviane Pistache e Leandra Moreira na 26ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas, e Cavi Borges, Sabrina Fidalgo e André Felix na 12ª Mostra Competitiva Nacional de Longas. O júri da crítica contou com Maria do Rosário Caetano, Luiz Carlos Merten, Luiz Zanin, Victor Hugo Furtado e Vitor Búrigo.

VENCEDORES DO 29º FESTIVAL DE CINEMA DE VITÓRIA

MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL DE LONGAS

Melhor Filme (Júri oficial):  A Mãe, de Cristiano Burlan

Melhor Filme (Júri popular): A Mãe 

Melhor Direção: A Mãe (para Cristiano Burlan)

Melhor Interpretação: Marcélia Cartaxo (por A Mãe)

Melhor Roteiro: Ursa, de William de Oliveira (para William de Oliveira)

Melhor Fotografia:  A Mãe (para André S. Brandão)

Menções Honrosas – Interpretação: Fernando Teixeira (de Capitão Astúcia, de Filipe Gontijo) e Adriana Sottomaior (de Ursa, de William de Oliveira)

Melhor Contribuição Artística:  A Mãe de Todas as Lutas, de Susanna Lira

Menção Honrosa – Direção: Germino Pétalas no Asfalto, de Coraci Ruiz e Julio Matos

MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL DE CURTAS

Melhor Filme (Júri oficial): Sideral, de Carlos Segundo

Melhor Filme (Júri popular): Fantasma Neon, de Leonardo Martinelli

Prêmio Especial do Júri: Fantasma Neon 

Melhor Direção: Como Respirar Fora D’água (para Júlia Fávero e Victoria Negreiros)

Melhor Roteiro: Manhã de Domingo, de Bruno Ribeiro (para Bruno Ribeiro e Tuanny Medeiros)

Melhor Fotografia: Madrugada, de Leonardo da Rosa e Gianluca Cozza (para Rebeca Francoff)

Melhor Contribuição Artística : Uma Paciência Selvagem Me Trouxe até Aqui, de Érica Sarmet

Melhor Interpretação: Elenco de Hospital de Brinquedos (de Georgina Castro)

Menções Honrosas: Solmatalua, de Rodrigo Ribeiro-Andrade; e Orixás Center, de Mayara Ferrão.

PRÊMIO DA CRÍTICA

Melhor longa-metragem da 12ª Mostra Competitiva Nacional de Longas: A Mãe (de Cristiano Burlan)

Melhor curta-metragem da 26ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas: Madrugada (de Leonardo da Rosa e Gianluca Cozza)

Confira também:

Preview 50º Festival de Gramado: Entrevista com Cristiano Burlan, diretor de “A Mãe”

Festival de Gramado 2022: Cobertura Completa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *