Super Quem?

Super Quem? Heróis por Acaso: uma paródia pra quem é ‘fã e quer service’

Filme francês “Super Quem?” que satiriza DC e a Marvel estreia nos cinemas brasileiros nessa quinta-feira, dia 27 de outubro.

Anote esta dica de estreia: “Super Quem? Heróis por Acaso”! No filme acompanhamos a ‘saga’ de Cedric (Philippe Lacheau), um ator que tem como principal obra na sua carreira o papel em um comercial de camisinha … extra… pequena. Mas, por ironia do destino (bota ironia nisso!) recebe a oportunidade única de dar vida ao super-herói Badman no cinema! Soa parecido com Batman? Quê é isso?! “É um nome completamente diferente” de acordo com a produtora. Para melhorar a vida de Cedric, ele vai contracenar com seu maior ídolo: Alain Belmont. As gravações começam e está tudo correndo bem … até o jovem ator sofrer um acidente com o “Badmovél” que faz com que ele perca a memória e passe a acreditar que é o verdadeiro Badman. E daí pra frente, é só pra trás… mas no bom sentido!

Pôster bem genérico de Super Quem?
Pôster bem genérico. Mas “ok”.

Para contornar essa situação, acompanhamos também a sua irmã Éléonore (Elodie Fontant) e seus dois melhores amigos Adam (Tarek Boudali) e Seb (Julien Arruti). Juntos, eles são ótimos coadjuvantes, com destaque para Julien Arruti. Lembrem da “cena do banheiro”. É hilária! No meio dessa confusão ainda temos o delegado de polícia Michel Dugimont (Jean-Hugues Anglade), pai de Cedric que só vai se aposentar depois de prender um dos principais criminosos do país.

Além de estrelar, Philippe Lacheau assina o roteiro e também dirige o longa. Com um humor ágil, afiado, com alguns momentos até constrangedores, ele nos entrega uma salada de paródia com o universo DC e Marvel. Começando pela logo de “Super Quem?” fazendo referência clara a abertura do MCU e o tema ‘a lá Vingadores’.

O melhor disso tudo é que ele ainda consegue ser uma metalinguagem do atual momento da indústria de Hollywood, evidenciando a necessidade de alguns atores de aceitarem papéis em filmes de super-heróis por dois motivos: financeiro ou para não sairem do radar do novo público. Outro ponto curioso (e positivo) é o filme (dentro do filme) que estão fazendo do “Badman”. Nele, as cenas de ação são muito bem dirigidas e até ficamos com vontade de assistir mais.

Eu quero assistir um filme do Badman

Apesar de ser curto, com pouco menos de uma hora e vinte cinco minutos de duração, “Super Quem?” consegue brilhantemente fazer o que “Super-Herói: O Filme” do longínquo ano de 2008 fracassou descaradamente: fazer rir. A diferença é simples: enquanto um forçava ser engraçado o outro flui naturalmente, mesmo sendo absurdo.

Peter Parker e Mary Jane estão diferentes

No geral, “Super Quem?” é um besteirol que segue a fórmula que fez muito sucesso nos anos 90 e 2000, mas com direito a um interessante plot twist! Que me trouxe uma sensação de nostalgia, lembrando de filmes como “Corra que a Polícia Vem Aí” e também o italiano “O Monstro” do Roberto Benigni. É o tipo de filme que entra no circuito quieto, sem muito alarde, ainda mais uma semana depois de um grande lançamento como “Adão Negro”. Acredito que quando entrar no catálogo de algum streaming ele será mais reconhecido.

Resumindo, “Super Quem?” é um filme sem pretensão nenhuma de ser grande ou fazer conexão com algum outro produto. Vale muito a pena chamar os amigos e conferir nos cinemas para todos juntos vibrarem quando aparecer … um aspirador de pó.

Veredito da Vigilia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *