Passados mais de 182 dias dos 365 de 2017, chegou a hora de dar aquela respirada e pensar em tudo que passou e tudo que está por vir. A Vigília já fez a programação do que teremos nas telonas nos próximos meses, portanto, o momento agora é relembrar o que de melhor passou. Chegou a hora de elencar os melhores filmes do primeiro semestre. Se você perdeu alguma coisa, a nossa lista ajuda a filtrar aqueles filmes que valem a pena correr atrás.

Vamos então, na ordem decrescente:

10º) Mulher-Maravilha

Sim, Diana de Themyscira abre o nosso top 10 por alguns bons motivos: 1 – Trouxe a paz e a cor que o mundo da DC nos cinemas precisava, 2 – Trouxe o Girlpower que nós precisávamos, 3 – Trouxe a leveza que gostamos em filmes de super-heróis, e 4 – de quebra bateu recordes de bilheteria. Não ganha uma melhor posição pelo seu final cheio de falhas, vilão ruim e luta de videogame. Dirigido por Patty Jenkins.

Leia nossa crítica de Mulher-Maravilha (sem spoilers).

 

9º) Logan

Abriu a nossa temporada de filmes de super-heróis com o pé direito. Violento, visceral e tocante, foi o final que o nosso mutante preferido merecia. De quebra, ainda colocou e revelou a X-23 para o mundo. A menina Dafne Keen roubou a cena e já sonhamos com um filme só dela. Mas assim como a heroína da DC, não foi um completo acerto. E nós botamos a culpa no diretor James Mangold.

Leia nossa crítica de Logan (sem spoilers)

8º) Lego Batman – O Filme

Estamos diante do melhor filme do Batman do cinema. Ok, talvez seja um exagero, mas para uma animação das pecinhas, temos o que precisamos: homenagens, referências do início ao fim e um humor certeiro. Se você é fã do Homem-Morcego, Lego Batman – O filme é essencial. A direção é de Chris McKay.

Crítica de Lego Batman – O Filme

7º) John Wick – Um novo dia para matar

Ação e pancadaria do início ao fim. E o melhor, sem os exageros dos atuais blockbusters, que insistem em destruir o mundo a todo custo. Uma trama básica, direta e com cenas dignas dos grandes filmes de ação. É o resgate de Keanu Reeves no cinema. Chuck Norris que se cuide. Dirigido por Chad Stahelski.

Crítica de John Wick: Um Novo Dia Para Matar

6º) Kong: A Ilha da Caveira

Que grande aventura de matinê. O MonsterVerse, que vimos iniciado em Godzilla (Gareth Edwards) tem sua continuação com um elenco pra lá de excelente: Tom Hiddleston, Brie Larson, Samuel L. Jackson, John C. Reily, John Goodman e claro o rei Kong, soberano de sua ilha. A aventura tem todos os ingredientes para a diversão com a pipoca. Não pare antes dos créditos finais. Dirigido por  Jordan Vogt-Roberts. 

Leia Mais de Kong: A Ilha da Caveira

5º) A Qualquer Custo

Passou despercebido pelo cinema, lá por fevereiro. Mas recebeu indicações merecidas ao Oscar e traz Ben Foster e Chris Pine em papéis diferentes do que estamos acostumados. Completa o elenco um Jeff Bridges pra lá de inspirado, em um filme de vingança onde você vai torcer pelos “vilões”. Dirigido por David Mackenzie.

Confira a crítica de A Qualquer Custo

4º) Fragmentado

Que tiro. M. Night Shyamalan volta a ser o diretor que tanto badalamos em O Sexto Sentido e traz o seu próprio universo expandido. Desta vez, com referências diretas do também ótimo Corpo Fechado. Em Fragmentado temos o resgate dos grandes plot twists, um James Mcavoy louco com 23 personalidades e a menina Anya Taylor-Joy. Mal podemos esperar pela continuação. Ah, também tem cena pós-créditos.

Confira nossa crítica de Fragmentado.

3º) Guardiões da Galáxia Vol.2

O diretor James Gunn se superou e conseguiu surpreender novamente. Colocou o grupo mais desconhecido da Marvel num patamar de Vingadores em uma história cheia de surpresas, easter-eggs e relacionamentos familiares entre os personagens mais improváveis. Cenas pós-créditos? Temos cinco!!! 

Ouça o nosso podcast sobre Guardiões da Galáxia Vol.2

2º) Moonlight – sob a luz do luar

Não é pegadinha. Moonlight superou a todos na conturbada entrega do Oscar, mas aqui vai levar a medalha de prata. O drama social cheio de críticas e relações humanas é uma das grandes obras dos últimos anos. Agraciou também o ótimo Mahershala Ali (House of Cards) como melhor ator-coadjuvante. A direção é de Barry Jenkins.

Confira a crítica de Moonlight.

1º) Manchester à beira mar

Esse filme vai te deixar com muitos nós na barriga. O drama triste contrasta com a cor e a bela e interiorana cidade de Machester-By-The-Sea. Deu o Oscar para o criticado Casey Affleck no papel do angustiado zelador que tem sua vida virada do avesso ao voltar para o local que só lhe traz más lembranças. Difícil superar. Dirigido por Keneth Lonergan.

Veja a nossa crítica de Manchester à beira mar.

2 Comments

  1. Meu amigo colocar Guardiões a frente de Fragmentado e Kong a frente de Logan é bem duvidosa esse ranking. Guardiões é um filme bom, mas pra mim não estaria nos melhores do semestre, assim como Kong, onde todos os personagens humanos são descartáveis, embora o filme seja, ok. Logan e Fragmentado, mereciam posições melhores. PS: colocaria Mulher Maravilha a frente de Kong e Guardiões, mas concordo com tudo que vc mencionou sobre o filme da MM.

    1. Fala Well, obrigado pelo contato. Adorei Logan e Mulher Maravilha, mas tenho um sério problema com as decisões do diretor James Mangold. Já Kong foi (na minha opinião) uma grande surpresa e quero muito ver o que vai vir pela frente, assim como no universo de Fragmentado, dois grandes tiros do cinema nesse ano. Já em Mulher-Maravilha talvez o problema tenha sido olhar duas vezes, na segunda vez quase quebrou o encanto da primeira. E com certeza teremos uma lista toda revisitada no final do ano 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *