Marte Um é o Brasil no Oscar

“Marte Um” vai representar o Brasil na disputa por uma vaga no Oscar 2023

Marte Um, o filme que não cansamos de falar aqui na Vigília, foi o escolhido da Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais para representar o Brasil na disputa por uma vaga no Oscar® 2023. Escolhido pela Comissão de Seleção independente, em reunião virtual, “Marte Um”, de Gabriel Martins, de Minas Gerais, vai disputar uma indicação na categoria de Melhor Filme Internacional na 95ª Premiação Anual promovida pela Academy of Motion Picture Arts and Sciences, o Oscar®, que está marcado para 12 de março de 2023. O anúncio da Academia Brasileira foi na segunda-feira, dia 5 de setembro de 2022.

“A escolha de “Marte Um” para representar o Brasil no Oscar 2023 foi uma decisão democrática e importante do júri. O filme trata de afeto e de esperança, da possibilidade de seguir sonhando em meio a tantas dificuldades econômicas e políticas. “Marte Um” sintetiza bem o cinema brasileiro, com qualidade narrativa e técnica, que vem sendo realizado hoje, representando a diversidade do país”, diz Bárbara Cariry, presidente da comissão.

A Comissão 

A Comissão de Seleção deste ano teve 19 integrantes: André Pellenz, Bárbara Cariry (presidente), Cavi Borges, David França Mendes, Eduardo Ades, Guilherme Fiúza Zenha, Jeferson De, João Daniel Tikhomiroff, João Federici, José Geraldo Couto, Juliana Sakae, Marcelo Serrado, Maria Ceiça de Paula, Patricia Pillar, Petra Costa, Renata Almeida, Talize Sayegh, Waldemar Dalenogare Neto e Zelito Viana. MARTE UM disputou a vaga com 27 outros longas inscritos e habilitados e, na semana passada, passou para o segundo turno com outros cinco títulos: A MÃE, de Cristiano Burlan; A VIAGEM DE PEDRO, de Laís Bodanzky; CARVÃO, de Carolina Markowicz; PACIFICADO, de Paxton Winters; PALOMA, de Marcelo Gomes.

O trajeto de Marte Um

Produzido pela Filmes de Plástico, em coprodução com o Canal Brasil, “Marte Um” estreou no Festival de Sundance, em janeiro, e chegou aos cinemas brasileiros no dia 25 de agosto, depois de ser premiado no Festival de Gramado (Melhor Filme do Júri Popular, Melhor Roteiro, Melhor Trilha Musical, Prêmio Especial do Júri). É o segundo longa do cineasta mineiro Gabriel Martins (o primeiro solo, sem a parceria de Maurilio Martins, com quem fez “No Coração do Mundo”).

Saiba mais sobre Marte Um nos textos abaixo:

Marte Um: Uma carta de amor ao povo brasileiro

Marte Um me deixou sem palavras

Relembre nossa entrevista com Gabriel Martins

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *