Festival de CinemaFilmes

Marte Um, de Gabriel Martins, estreia no Festival de Sundance

Quando tinha nove anos, o pequeno Gabriel Martins fez um desenho. Nele, havia um set de filmagens, na cadeira de diretor, seu nome, e ele, com um megafone na mão comandava a cena. Um balão sobre sua cabeça diz: “Realizei meu sonho!”. Marte Um é seu segundo longa (o primeiro solo, sem a parceria de Maurilio Martins, com quem fez “No coração do mundo”), e tem, como um de seus temas centrais, a realização de um sonho infantil. O filme terá sua primeira sessão mundial no Festival de Sundance, na quinta-feira, dia 20 de janeiro. A produção do filme é assinada pela Filmes de Plástico, e coproduzido pelo Canal Brasil. O longa deve chegar ao circuito brasileiro em agosto deste ano.

Marte Um é um filme sobre seguir os sonhos no Brasil contemporâneo. O garoto Deivid (Cícero Lucas), o caçula da família Martins, sonha em ser astrofísico, e participar de uma missão que em 2030 irá colonizar o planeta vermelho. Morando na periferia de um grande centro urbano, não há muitas chances para isso, mas mesmo assim, ele não desiste. Passa horas assistindo vídeos e palestras sobre astronomia na internet.

O filme começa na noite 28 de outubro de 2018, quando Jair Bolsonaro acaba de ser eleito. Sentado no quintal de casa, enquanto pensa no seu grande sonho, Deivid ouve da rua gritos de “Mito” e uma grande comemoração. Será o começo de um período obscuro tanto para sua família quando para o país.

“O filme foi desenvolvido entre 2015 e 2018, um período de muitas mudanças abruptas nos campos social e político do país. Vários movimentos nos fizeram confrontar com o que pensávamos sobe raça, gênero, economia e muitos aspectos da sociedade. Produzimos o filme graças a um fundo para diretores negros, e isso sempre me trouxe um senso de responsabilidade muito grande, com honestidade e compreensão de que esse filme pode ser uma forte representação de uma cultura da qual faço parte”, explica o diretor.

O longa acompanha algumas semanas na vida da família de Deivid. O pai, Wellington (Carlos Francisco, de Bacurau, e da Companhia do Latão de teatro) é porteiro em um prédio de elite, e há um bom tempo está sem beber, uma informação que compartilha com orgulho em sessões do AA. Tércia (Rejane Faria, da série “Segunda Chamada”) é a matriarca que, depois um incidente envolvendo uma pegadinha de televisão, acredita que está sofrendo de uma maldição. Por fim, a filha mais velha é Eunice (Camilla Damião), que pretende se mudar para um apartamento com sua namorada (Ana Hilário), mas não tem coragem de contar aos pais.

Marte Um tem previsão de estreia ainda esse ano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *