Cinema: os melhores de 2016

Acabou o ano. É aquela hora de pensar em tudo o que passou. E apesar de 2016 ter sido um ano pra lá de maluco no Brasil, no quesito cinema e séries de TV não podemos nos queixar. QUE ANO minha gente. Foi até difícil fazer uma lista com os melhores filmes. Mas, depois de um árduo trabalho de avaliação e discussão (e quase briga), chegamos a uma lista definitiva com os destaques de 2016.

Ouça também o Torre de Vigilância só com essas discussões! Confira abaixo os nossos destaques, e que venha 2017!

Obs.: usamos o calendário nacional de estreias como padrão!

10- Animais Fantásticos e Onde Habitam (David Yates)

A retomada do mundo encantando de J.K. Rowling acordou os potterheads adormecidos. Cinco anos depois de Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2, o universo se expande, agora com o spin-off que foi roteirizado pela própria criadora. O filme surpreendeu a todos. Mesmo com todas as referências, é uma história fechada e nos traz efeitos especiais de encher os olhos. Com boas participações de Eddie Redmayne (Newt Scamander) e a surpresa Johnny Depp (Grindelwald). Veja também nossas críticas!

9- Os oito odiados (Quentin Tarantino)
Já faz tanto tempo que muitos não lembram que foi em 2016 (pelo menos no Brasil) que Tarantino nos presenteou com mais uma de suas obras. Envolvendo um enredo original, um cenário quase que absoluto e uma sensação de sufoco, o longa é já uma contagem regressiva para sua aposentadoria, pois o próprio Tarantino garantiu que realizará somente mais dois filmes (completando 10 filmes rodados com sua assinatura total). Atuações espetaculares, uma trilha sonora Oscarizada, e o velho banho de sangue habitual. Por favor Tarantino. Não pare.

8- Rogue One – Uma História Star Wars (Gareth Edwards)
O lançamento que abalou as estruturas do mundo nerd. Rogue One foi o filme que contou a história que já conhecíamos, mas só imaginávamos. Agora, com tudo pronto, o longa de Gareth Edwards foi um misto de nostalgia com fan service da melhor qualidade. Rendeu uma crítica e uma listagem de altos e baixos aqui na Vigília e aumenta a responsabilidade para o episódio VIII que chega em dezembro de 2017. Esse por sua vez, será um acontecimento a parte em função da grande perda de Carrie Fisher (1956-2016), nossa eterna princesa rebelde. Segurando as lágrimas desde já.

7- Mogli, o menino lobo (Jon Favreau)

É daquelas obras que nos surpreendem e nos fazem pensar o porquê a Marvel não deixou o diretor Jon Favreau com a batuta de Homem de Ferro 3. Favreau dirige um ‘live action’ com os animais que trazem a mitologia do escritor Rudyard Kipling em efeitos especiais de tirar o fôlego. De quebra, renovou a história da Jângal com uma obra digna do selo Disney. Foi tão bem, que vem mais Jângal e “universo Mogli” por aí.

6- Invasão Zumbi (Sang-ho Yeon/ Coréia do Sul)
Uma grata surpresa entre os cenários cercados de filmes norte-americanos. Invasão Zumbi, como já falamos aqui, é um filme que traz a temática de uma maneira totalmente diferente das já vistas nas telonas, acrescentando aqui uma crítica forte pelo mundo e costumes que temos na sociedade. Além disso, não esquece das cenas das quais mais esperamos ver em um filme com esse nome. Vale conferir no cinema (mesmo em janeiro).

5- Deadpool (Tim Miller)
Também em fevereiro tivemos o filme que será lembrado por muito e muito tempo. Deadpool é uma aula de como adaptar um dos mais ‘zoeiros’ personagens dos quadrinhos para o cinema. Engraçado, divertido e sem vergonha na cara, de quebra o filme ainda traz Ryan Reynolds para os braços da galera, retomando a carreira derrapante do rapaz. As piadas são muitas, e não poupam nem os próprios produtores e atores. Também foi lembrado na nossa lista de melhores trilhas sonoras de filmes de super-heróis por causa de ninguém menos do que George Michael (outra perda do final de 2016 – 1963-2016)!

4- Animais Noturnos (Tom Ford)
Em 2016 Amy Adams esteve envolvida em grandes produções. Batman vs Superman foi a primeira, lá em março. Mas foi com A Chegada (Denis Villeuneuve) e Animais Noturnos que ela fez valer o seu ano. Como antecipamos aqui, Animais Noturnos deve aparecer com algum destaque entre os selecionados ao Oscar. O filme vai te deixar desconfortável. E isso será ótimo.

3- Doutor Estranho (Scott Derrickson)

Olha a Marvel chegando no top 3. Doutor Estranho era aguardado pelos fãs com curiosidade. Acima de tudo em função do mundo místico que ele envolve e de como tudo isso estaria nas telonas. Pois este é o ponto forte do filme, com efeitos pra lá de espetaculares. A história é fiel às HQs (mais um ponto a favor) e a resolução do filme tem ares de volta no tempo com Monthy Phyton. Também rendeu dois textões aqui na Vigília. E não esqueça que veremos Stephen Strange já em 2017 em Thor: Ragnarok.

2- O quarto de Jack (Lenny Abrahamson)
Como também só tivemos a estreia de O Quarto de Jack em 2016, lá no distante mês de fevereiro, o longa tem o segundo lugar no nosso pódio de 2016. Com a interpretação que valeu o Oscar para Brie Larson (a nossa futura Capitã Marvel) e o menino Jacob Trembley (podiam ter dado o Oscar para ele também), o filme sufoca, traz uma triste e desoladora história real. Impossível não chorar assistindo.

1- Capitão América – Guerra Civil
O embate mais épico dos quadrinhos transposto ao cinema leva o nosso título. Divertido, tenso, com muitas referências e a volta do Homem-Aranha para o colo da Marvel Studios. Tudo isso coroado com umas das melhores cenas de ação vistas no ano com o enfrentamento do TeamCap contra o TeamIronMan e o final com os mocinhos se socando até quase a morte. Faltou alguma coisa? Ah sim, fomos apresentados da melhor forma ao Pantera Negra e de quebra vimos Homem-Formiga usar os seus poderes de gigantismo. Leva o nosso primeiro lugar com sobras e ainda deixa os diretores, os irmãos Russo, com a responsabilidade de contar Guerra Infinita em um futuro muito próximo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *