Bingo – O Rei das Manhãs é o Brasil Oscar e no prêmio Goya 2018

Uma das grandes produções brasileiras deste ano, o filme Bingo – O Rei das Manhãs, foi selecionado para representar o Brasil na disputa para a indicação do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira, dia 15 de setembro. Além da indicação, o longa também representará o Brasil na 32ª edição do Prêmio Goya, principal premiação do cinema espanhol.

O longa dirigido por Daniel Rezende desbancou outros 22 filmes (confira lista abaixo). Em 2016, o longa indicado pelo Brasil foi Pequeno Segredo. O Oscar 2018 ocorrerá no dia 4 de março. Já na disputa do Goya, o filme vai disputar uma vaga para ser um dos quatro finalistas na categoria de Melhor Filme Ibero-Americano. A premiação acontece no dia 3 de fevereiro de 2018 e é organizada pela Academia das Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha.

 

Bingo – O Rei das Manhãs é uma filme baseado na vida de Arlindo Barroso, o palhaço Bozo do clássico programa de TV do SBT. Em uma mistura de comédia e drama, ele conta a ascensão e queda do artista por trás da maquiagem.

O filme segue em cartaz em todo o Brasil e a Vigília recomenda!

Confira quem também estava no páreo:

“A Família Dionti” (Alan Minas)

“A Glória e a graça” (Flávio Ramos Tambellini)

“Café – Um dedo de prosa” (Maurício Squarisi)

“Cidades fantasmas” (Tyrell Spencer)

“Como nossos pais” (Laís Bodanzky)

“Corpo elétrico” (Marcelo Caetano)

“Divinas divas” (Leandra Leal)

“Elis” (Hugo Prata)

“Era o hotel Cambridge” (Eliane Caffé)

“Fala comigo” (Felipe Sholl)

“Gabriel e a montanha” (Fellipe Barbosa)

“História antes da história” (Wilson Lazaretti)

“Joaquim” (Marcelo Gomes)

“João, o maestro” (Mauro Lima)

“La vingança” (Fernando Fraiha e Jiddu Pinheiro)

“Malasartes e o duelo com a morte” (Paulo Morelli)

“O filme da minha vida” (Selton Mello)

“Polícia Federal – A Lei é para todos” (Marcelo Antunez)

“Por trás do céu” (Caio Sóh)

“Quem é Primavera das Neves” (Ana Luiza Azevedo, Jorge Furtado)

“Real – O plano por trás da história” (Rodrigo Bittencourt)

“Vazante” (Daniela Thomas)

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *